Translate

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Criança na Bíblia

SE VOCÊ É PESSOA JURÍDICA E DESEJA SE TORNAR UM PATROCINADOR DESSE BLOG, ANUNCIANDO SEU PRODUTO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇO, ENTRE EM CONTATO COM O ADMINISTRADOR NO EMAIL reinaremvida@gmail.com , OU SE VOCÊ PREFERE AJUDAR NO ANONIMATO ATRAVÉS DE DEPÓSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA COM QUALQUER VALOR -> ( Caixa Econômica Federal, agencia 0185 conta 013 00458401-4 ) Sergio B. Barros



Contador de visitas
Besucherzähler
Contador de visitas


A Bíblia e as crianças




Deus mandou os pais ensinar seus filhos sobre Deus.

Quando os seus filhos perguntarem: “O que quer dizer com essa cerimônia?” Vocês responderão: “É o sacrifício da Páscoa em honra do Deus Eterno…” – Êxodo 12.26-27a

Guardem sempre no coração as leis que eu lhes estou dando hoje e não deixem de ensiná-las aos seus filhos… – Deuteronômio 6.6-7a

[Deus] deu leis ao povo de Israel e mandamentos aos descendentes de Jacó. Ordenou aos nossos antepassados que ensinassem essas leis ao seus filhos. – Salmo 78.5

As crianças participaram dos cultos



Reúnam todo o povo – homens, mulheres, crianças e os estrangeiros que moram nas cidades onde vocês vivem – para que ouçam a leitura, aprendam a Lei, temam o Eterno, o nosso Deus… – Deuteronômio 31.12 (BLH)

Enquanto Esdras estava ajoelhado em frente do templo, orando, chorando e confessando esse pedo, um grande grupo de israelitas – homens, mulheres e crianças – se reuniu em volta dele. E eles também choravam amargamente. – Esdras 10.1

… Deus ensinou as crianças e as criancinhas a oferecerem o louvor perfeito. – Mateus 21.16b

As crianças são importantes para Deus



Os filhos são um presente do Deus Eterno; eles são uma verdadeira bênção.- Salmo 127.3

Jesus chamou uma criança, colocou-a na frente deles e disse: Lembrem-se disto: se vocês não mudarem de vida e não tornaram como crianças, nunca entrarão no Reino do céu. O mais importante no Reino do céu é quem se humilha e se torna como esta criança. E quem recebe em meu nome uma criança como esta está me recebendo. – Mateus 18.2-5

… levaram algumas crianças a Jesus para que ele as abençoasse, mas os discípulos os repreenderam. Quando ele viu isso, não gostou e disse: Deixem que as crianças venham a mim e não as proíbam, porque o Reino de Deus é dos que são como estas crianças. Lembrem-se disto: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança nunca entrará nele. Então Jesus abraçou as crianças e as abençoou, pondo as mãos sobre elas. – Marcos 10.13-16

Ao que lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixaste de fazer a um destes mais pequeninos, deixastes de o fazer a mim. – Mateus 25.45

Seria melhor para ele ser jogado no mar com uma grande pedra de moinho amarrada no pescoço do que fazer um destes pequeninos pecar.. – Lucas 17.2

Deus espera obediência das crianças



Até a criança se dá a conhecer pelas suas ações, se a sua conduta é pura e reta. – Provérbios 20.11

Filhos, o dever cristão de vocês é obedecer aos seus pais, pois isso é justo. – Efésios 6.1



Dez Princípios Para as Crianças Serem Felizes e Bem Sucedidas

Gostou? Comente este artigo no fim da página
crianca bem sucedida
'O maior desejo dos pais e educadores em relação a suas crianças é que elas sejam felizes e bem sucedidas. Para alcançar este alvo as crianças precisam de algo simples que foi tirado de muitas delas: elas precisam de pais. Pais presentes que se dediquem a elas. Pais que amam e educam dando liberdade e limites com equilíbrio. Pais que lhes peguem pela mão e lhes ensinem o caminho em que devem andar (Provérbios 22.6), lembrando que o caminho se faz caminhando, e não apenas falando. A Bíblia diz qual é este caminho: “Se você quer ter sucesso em tudo o que vai fazer, seja obediente a todos os pontos da Lei, sem nenhum desvio para cá ou para lá. Não se canse de lembrar ao povo as leis deste Livro, e você mesmo trate de meditar nelas todos os dias e todas as noites, para ter certeza de que está sendo obediente em tudo o que está escrito. Só assim você poderá ter sucesso.” (Josué 1.7-8 – Bíblia Viva.)Pesquisadores sobre aprendizagem reafirmam que o bom desempenho dos alunos nos estudos está ligado ao apoio dos pais. Cláudio de Moura Castro afirma que pesquisas “sobre o sucesso dos países do Leste Asiático em matéria de educação, mostram que tudo começa com o desvelo da família e com sua crença inabalável de que a educação é o segredo do sucesso. Países como Coréia, Cingapura e Taiwan não gastam muito mais do que nós em educação. A diferença está no empenho da família, que turbina o esforço dos filhos e força o governo a fazer sua parte.
“Muitos pais brasileiros de classe média achincalham nossa educação, mas seu esforço e sacrifício pessoal tendem a ser ínfimos. Quantos deixam de ver TV para assegurar-se de que seus pimpolhos estão estudando? Quantos conversam frequentemente com os filhos? As pesquisas mostram que tais gestos têm impacto enorme sobre o desempenho dos filhos.” (9) Revista Veja, Ed Abril, novembro de 2004.
Conheço mães e pais que chegam em casa cansados do trabalho e separam tempo de qualidade para olhar os cadernos dos filhos, conversar ou brincar com eles, ou seja, eles estão educando, influenciando seus filhotes. Trabalhei com uma psicóloga que tinha que se desdobrar como mãe e pai, e ela fazia isto com a maior competência. Ela chegava em casa após um dia inteiro de trabalho, e se dedicava a seu filho: olhava a casa, os cadernos, ajudava seu filho a preparar o material e passavam um tempo juntos.
Sucesso nos estudos e na vida de uma maneira geral está ligado a uma educação presencial, não dá para ser pai e mãe à distância, como dizia um comercial da TV: “não basta ser pai, tem que participar.” A saúde emocional, espiritual e física depende dos cuidados de pais amorosos e prontos a cumprir os princípios divinos em suas famílias.
Sendo pai ou professor, você pode sim, minimizar os problemas que o tempo longe das crianças pode trazer: conversando pelo telefone, dando atenção de qualidade a eles quando estiverem juntos, orando por e com elas, sendo amigos, elogiando, corrigindo sempre que necessário – sem deixar que a culpa por estar pouco tempo com elas lhe impeça de discipliná-las. Não deixe de estabelecer limites para suas crianças só porque você passa pouco tempo com elas. Mas por outro lado, não use seu tempo todo brigando e xingando seus pequenos. Eduque conversando, influenciando, estando ao lado. Façam alguma atividade juntos, como fazer um bolo ou simplesmente escovar os dentes e arrumar as camas. Podemos tornar essas ocasiões agradáveis e preciosas conversando sobre as coisas que aconteceram durante o dia que passaram, falando das tristezas e alegrias de cada um, sabendo que por meio destes simples momento estamos ensinando através de nosso estilo de vida, pois o seu exemplo é o maior ensino. É isto que Deuteronômios 6.7 nos diz: “Ensine seus filhos andando pelo caminho, ao deitar-se, ao levantar-se”- isto quer dizer a todo o momento.
A maior força da educação está nas pequenas coisas, nos gestos e nas palavras do dia-a-dia, onde às vezes não percebemos, pois educar é se relacionar com o outro, e isto acontece na maioria das vezes de maneira informal. Aproveite cada minuto na presença de suas crianças e das pessoas que são preciosas para você! Ame-as e demonstre esse amor. Já que nosso tempo é tão curto e tão precioso, aproveite cada minuto da vida para amar mais e se deleitar em seu jardim, pois um jardineiro cuida de seu jardim pelo prazer que tem de estar nele, de ver seus frutos e flores por vir, de sentir os perfumes que ele exala.
Às vezes me assusto com o poder que é dado aos pais e educadores de crianças pequenas. Você não se assusta? Temos em mãos as sementes para plantar um novo ser. Gosto de semear princípios, pois eles são as fontes que movem nossas ações. Princípios são valores que, se semeados na primeira época da vida, direcionam o desenvolvimento posterior, que estará subordinado a eles. Princípios não morrem, são como sementes. Às vezes parecem que morreram, mas estão adormecidas, debaixo da terra, e um dia brotam, é claro que dependem das condições necessárias para romper a terra. Assim é com os bebês, tudo é novo para eles e para as crianças pequenas, até que alguém lhes apresente: a maneira de ver as formigas, as flores, uma galinha e até uma barata, dependem de como estas lhes são apresentadas.
Na Coréa do Sul, por exemplo, as crianças vêem os cachorros como uma possível refeição; eu não posso nem pensar em comer meu cachorrinho! Isto também ocorre com a maneira de lidar com o amor, o erro, a dor, a alegria, enfim, com a vida. A maneira de lidar com a vida vai depender das sementes que foram plantadas na infância, do tipo de solo e das condições que elas tem para se desenvolver. É isto o que me assusta, é muita responsabilidade e também uma grande oportunidade que as pessoas que cuidam de crianças têm. Princípios são sementes. Que sementes você tem lançado?
Cada família tem os filhos que produz, assim como na sua grande maioria, os alunos reagem de acordo com o estilo da aula e do temperamento do professor. Por exemplo, você pode ensinar a criança a fazer por merecer ou dar a ela tudo o que pede ensinado-a assim o falso conceito de que na vida é tudo muito fácil. Isto aconteceu com o filho de Vânia, que queria dinheiro de qualquer jeito: “- Mãe vamos naquela máquina do banco pegar dinheiro.” A mãe lhe disse que temos que trabalhar para receber dinheiro, pois ele não brota das máquinas simplesmente. E teve uma conversa sobre o assunto com o garotinho. Na outra noite, ao chegar do trabalho o menino veio todo animado dizendo: “-Mãe eu trabalhei e ganhei um real! Ajudei o vovô a carregar uns caixotes e ele me pagou.” Cada família ou professor colhe as sementes que planta e cultiva. Como são suas crianças? Está na hora de um exame. É preciso urgente voltar aos princípios que a Palavra de Deus nos dá para a educação das crianças! Princípios que foram abandonados por muitos pais e educadores trazendo assim, enormes prejuízos a esta geração. Como provavelmente você tem pouco tempo, resumi os princípios bíblicos para a educação das crianças, formulando assim dez princípios para as crianças crescerem felizes e bem sucedidas. Que tal colar a lista abaixo no espelho ou na agenda?
Princípio nº. 1: Os pais são os responsáveis pela educação das crianças. Ef 6.4 e Dt 6.7.
Princípio nº. 2: Apascente o coração das crianças que estão sob sua responsabilidade. Jo 21.15.
Princípio nº. 3: Ame as crianças, incondicionalmente. 1 Jo 4.7-20.
Princípio nº. 4: Dê liberdade e limites com equilíbrio. 2 Tm 1.7.
Princípio nº. 5: Discipline-as quando necessário, usando os métodos adequados a cada ocasião; isto é estabelecer limites. Pv 6.23.
Princípio nº. 6: Desenvolva o pensamento e a capacidade de tomar decisões fundamentadas nos princípios de Deus; isto é dar liberdade. Tg 1.25.
Princípio nº. 7: Quando caírem ensine-as a levantarem de novo e a aprender com os erros. Sl 37.24.
Princípio nº. 8: Atenda as necessidades de cada etapa do crescimento. Lc 2.52.

Princípio nº. 9: 
Seja o exemplo que elas procuram. 1 Co 11.1.
Princípio nº. 10: Crianças são flechas, eduque-as para serem lançadas na vida e acertarem o alvo. Sl 127.3-5 e Rm 8.29.
Agora vá em frente! A Bíblia diz: “Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar.” Josué 1.9; NVI. A tarefa não é fácil, mas acredite, vale a pena investir em crianças! O Senhor Deus está com você e lhe diz: “Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir, eu o
aconselharei e cuidarei de você.” Salmos 32.8; NVI.



Educação das Crianças



Qual é o valor de prestar atenção à educação das crianças desde muito cedo? A Bíblia diz em Provérbios 22:6 “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.”
Que espera Deus dos pais enquanto eles educam os seus filhos? Os pais devem ser um exemplo piedoso em palavras e ações. A Bíblia diz em Deuteronómio 6:6-7 “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.”
Deus quer que os pais sejam pacientes. A Bíblia diz em Colossenses 3:21 “Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não fiquem desanimados.”
Que espera Deus de uma mãe? A Bíblia diz em Provérbios 31:26 “Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua.”
A disciplina é uma expressão do amor da parte dos pais. A Bíblia diz em Provérbios 13:24 “Aquele que poupa a vara aborrece a seu filho; mas quem o ama, a seu tempo o castiga.”
A correção firme e afável ajuda as crianças a compreender. A Bíblia diz em Provérbios 29:15 “A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.”
O propósito da disciplina é para ajudar as crianças a atingir maturidade, não para enfurecê-los. A Bíblia diz em Efésios 6:4 “E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação do Senhor.”
Muitas vezes, as crianças pagam as consequências dos pecados dos pais. A Bíblia diz em Êxodo 34:7 “Que usa de beneficência com milhares; que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado; que de maneira alguma terá por inocente o culpado; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.”
Como quer Deus que os filhos se comportem? A Bíblia diz em Efésios 6:1 “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.”

"O mundo será daqueles que saibam amá-lo mais e melhor."


A criança na Bíblia

Caminhando na Palavra de Deus encontraremos textos que mostram a criança. São episódios cheios de lição para todos nós. Verifique como as crianças aparecem, o que fazem e como Deus e/ou os homens as tratam; Verifique o período da história bíblica em que o fato aconteceu. Faça uma ficha para cada criança, responda:

Qual é a passagem Bíblica?
Qual o nome da criança?
Como você vê a situação da criança neste texto?
Qual a missão de cada criança?
Qual foi a atitude dos adultos diante da(s) criança(s)?
E como Deus agiu em relação à(s) criança(s) neste caso?

20 Passagens Bíblicas

01Deus ouve o grito da criança que chora. Isaac desmamado brinca Gn. 21,8-12;
02 Deus defende a vida da criança, Abraão leva o filho para sacrificar (Javé providenciará) Gn.22,1-19;
03 As parteiras salvam crianças hebréias. exclusão/proteção Ex.1,15-22;
04 Vocação de Samuel - Criança escolhida por Deus ISm. 3,1-11;
05 O profeta Elias é instrumento em favor da vida. O filho da viúva ressuscita IRs.17,17-24;
06 O profeta Eliseu ressuscita a criança 2Rs. 4, 32-37;
07 Crianças ocultada não é sacrificada 2Rs.6, 24-30;
08 Sacrifício de crianças no mundo da escravidão. Ne. 5, 1-6;
09 No Reino messiânico, vida para as crianças Is.65, 19-25;
10 Ternura de Deus Pai com uma criança. Os. 11,1-4;
11 Crianças alegram as praças das cidades. Zc. 8, 40-42;
12 Violência de Herodes contra as crianças. Mt.2,13-18;
13 Jesus ressuscita uma menina "Talita Cumi" Mc. 5,21-24 ; 35-43 e Lc.8, 40-42;
14 Jesus liberta uma criança. Mc. 9, 20-27e -42;
15 As crianças e o Reino. Mc.10,13-16;
16 Criança abre mão de sua merenda. Jo 6,3-11;
17 Criança, prioridade no Reino.Mt. 18,1-5;
18 Cura de uma criança ao longe. Mc. 7,24-30;
19 Jesus também foi criança. Lc.2,39-40;
20 Luta do dragão contra a criança. Ap.12,1-6;

Estudo Bíblico para Criança

A Escritura sustentáculo da fé. "Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e creste. Sabes de quem aprendeste. E desde a infância conheces as sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra."II Timóteo 3,14-17

O evangelizador de criança que conseguir levar a criança ao amor a Eucaristia e a Palavra de Deus cumpriu sua missão. A Palavra de Deus é algo que desde a infância deverá fazer parte da vida da criança. A Eucaristia centro de nossa fé cristã, pressupõe a vivência de todos os outros sacramentos.

A palavra de Deus manteve e mantém a unidade da igreja com seus ensinamentos. A religião cristã manterá viva a fé se proclamar esta palavra e a vivenciar. A fé vem da pregação e a formação de pregadores infantis é urgente. Ninguém melhor do que crianças para evangelizar crianças. A exemplo de Jesus que aos doze anos fazia doutores da lei espantarem com sua sabedoria a criança do dia de hoje deverá ser levada a encontrar na palavra de Deus a fonte desta sabedoria.

O estudo da Bíblia deve ser orientado por um adulto. Ajudar a criança na tarefa de escolher o local e horário ideal como também da seqüência e dosagem das leituras a serem feitas. Criar situações em que todas as dúvidas possam ser esclarecidas tanto quanto ao tempo, linguagem ou interpretação.

Para o estudo da Palavra de Deus sugerimos:

1º Leitura Bíblica segundo a Lectio Divina que consiste na leitura da Palavra de Deus, meditação, momento de oração e contemplação seguida de proposta de ação.

2º O Diário Espiritual.O Diário Espiritual pode ser desenhado ou escrito. Consiste em anotar diariamente o texto lido, a data e após a leitura da Palavra de Deus selecionar (a cada etapa ir orientando o que a criança deve selecionar como sugerimos a seguir):

a) a mensagem. Em toda leitura algo destaca no coração da criança, esta é a mensagem.

b) uma ordem. Retirar do texto lido uma ordem dada por Deus. Ex: "Orai"ou "Perdoai", etc. A criança de sete anos acima consegue fazer esta tarefa.

c) uma promessa. Deus quis contar com o homem. Quando promete algo ele condiciona o cumprimento à ação do homem. Ex: "Quem perdoar será perdoado". A criança acima de nove anos é capaz de fazer esta tarefa.

d) um princípio eterno. Deus é eterno e Sua Palavra não passará. Princípios eternos são verdades. Ex: "Deus é luz" ou "Quem nega o Filho é o anti Cristo" I Jo. Para certificar se aquela verdade é um princípio eterno, perguntamos em três tempos assim: Deus era luz? Deus é luz? Deus será luz? Se a resposta for sim, encontramos um princípio eterno. Só após dez anos a criança percebe o princípio eterno.

e) como aplicar em minha vida. Conformar nossa vida com a verdade do Evangelho é tarefa diária. A criança poderá desenhar ou escrever uma oração, uma meditação, uma proposta de vida e ação mantendo assim um diálogo constante de amor. Em todas as idades é possível esta atividade.

f) sugerir tarefas específicas segundo o tempo litúrgico, ou festas religiosas, ou mês temático como mês da Bíblia, de Maria, etc.

O estudo deve ser gradativo e introduzido conforme a criança vai respondendo as motivações para o cumprimento de cada tarefa. Uma criança que começa seu estudo da Palavra de Deus aos sete anos, com certeza aos doze terá terminado a primeira leitura completa de toda a escritura e será sua testemunha a exemplo de Jesus "Não o tendo encontrado, voltaram a Jerusalém à sua procura. Foi no fim de três dias que o encontraram no Templo, sentado em meio aos mestres, ouvindo-os e interrogando-os. Todos os que o ouviam se extasiava com a inteligência das suas respostas." Lc 2,45-48.

"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" Jo 8,32

Criança na Bíblia - Parte5

A Criança na Palestina no tempo de Jesus
 tn042011eA procriação, segundo a Lei da época, é a finalidade da união natural entre homem e mulher, no casamento. O nascimento de um filho era considerado uma bênção, porque dele dependia a sobrevivência do povo de Israel. A chegada de um menino causava muita alegria, pois este perpetuava o nome da família e garantia a preservação de seu patrimônio.
 No Antigo Testamento, o clã, isto é, a grande família, era a base da convivência social, para o povo de Israel. Garantia a posse da terra, proteção às pessoas e às famílias e preservava a tradição e a defesa da identidade do povo. Na Palestina, no tempo de Jesus, o clã estava se enfraquecendo e já não conseguia realizar seu objetivo. Os evangelhos mostram que a desintegração do clã se reflete negativamente, de modo especial, na vida das crianças, dos pequenos, dos simples, dos pobres e excluídos.
 A realidade da criança até os 12 anosEnquanto menor de 12 anos, a criança pertencia a uma categoria inferior e era considerada incapaz no que se referia à religião e não podia tomar decisão alguma que a comprometesse. Há textos que revelam que a criança era menosprezada e equiparada aos surdos, mudos, cegos, deficientes mentais, pagãos, às mulheres e escravos. Tanto assim, que entre os essênios, as crianças eram excluídas da assembléia da comunidade: “as pessoas tolas, os loucos, as crianças menores, nenhum desses entrará no seio da comunidade, pois os santos anjos permanecem no meio dela”.[1]
 As crianças, tanto meninos quanto meninas, nada podiam possuir. Deviam respeito ao pai e aos irmãos. Pertenciam ao pai, que podia até fazer dos filhos e filhas escravos/as. Nada podiam decidir por conta própria e eram representadas diante da justiça, pelo pai. A filha, quando mutilada ou deflorada, era indenizada e o dinheiro ficava com o pai.
 As meninas eram educadas pela mãe. Os meninos, depois de receber uma primeira educação materna, aprendiam com o pai, a sua sabedoria, sua profissão e os fundamentos da religião. Segundo a sabedoria bíblica e judaica, as crianças não eram consideradas inocentes. Eram vistas como símbolo da fragilidade e discriminadas até pela sua tagarelice.  Os rabinos ou mestres se interessavam pelas crianças, porque viam nelas o futuro de Israel, seus futuros alunos e sujeitos à Lei.[2]
 Uma situação diferente para meninos e meninos, a partir dos 12 anosA partir dessa idade, o menino é considerado maior, torna-se obrigado a cumprir a Lei, pode ler na sinagoga e mais tarde recebe o nome de bar-miçwah, que significa filho do mandamento. É incentivado a dedicar-se a algum trabalho. Porém, “deve em primeiro lugar construir sua casa, depois plantar uma vinha, depois casar-se”.[3] A idade preferida para casar-se é entre os 16 e 22 anos. Enquanto a menina, entre os 12 anos e 12 e meio, é uma adolescente. O pai tem o dever de entregá-la a um noivo escolhido por ele, no meio dos parentes, para evitar a dispersão dos bens da família. Após essa idade, ela pode aceitar ou não a proposta do pai. Todavia, permanece o direito do pai de agir contra a vontade da filha, embora seja aconselhado a ouvi-la e levar em conta sua vontade. Ela, por sua vez, ao atingir a adolescência, pode rejeitar o noivo escolhido pelo pai antes dos 12 anos e pronunciar-se deste modo: “considero-me como vendida em escravidão, portanto, me liberto hoje”.[4] Agindo dessa forma, torna-se livre.
Jesus acolhe as crianças e diz que o Reino de Deus pertence a elas (Mc 10,13-16).Algumas mães levaram suas crianças para que Jesus tocasse nelas e as abençoasse. Os discípulos as repreenderam e procuraram afastá-las. Jesus, porém, as acolheu dizendo: “Deixem as criancinhas virem a mim. Não as proíbam, pois o Reino de Deus pertence a elas”. Depois de colocar as mãos sobre as crianças, partiu daquele lugar. Aqueles que pouco ou nada representavam para a sociedade são acolhidos, valorizados por Jesus e agraciados com seu toque cheio de amor e ternura. Para ele, ninguém passa invisível, todos são importantes e merecem toda a atenção.
Jesus coloca a criança como modelo para os adultos (Mt 18, 1-5)
Quem é o maior no Reino do céu? Esta foi a pergunta que os discípulos dirigiram a Jesus. A resposta do divino mestre foi através de um exemplo vivo e compreensível a todos. Como bom pedagogo, ele foi prático e direto:colocou uma criança no meio deles e afirmou que aquele que não se converter e não se tornar como criança, não entrará no Reino do céu. Quem é humilde como a criança e a acolhe em seu nome, este é maior no Reino do céu. Jesus mostra que a criança serve de exemplo, não só pela sua inocência, mas por ser simples, sem pretensões sociais, sem poder e ambições, símbolo de quem está vazio de si mesmo e aberto para acolher o Reino. Portanto, maior no Reino do céu é aquele que se faz criança e deixa de lado seu orgulho, sentimentos de ambição e competição e se coloca a serviço dos irmãos mais necessitados na gratuidade do amor, sem nenhuma pretensão.
Jesus condena aqueles que escandalizam os pequeninosNa terra de Jesus, a criança era o símbolo dos pequenos, fracos, pobres e humildes. Os pobres, os fracos e humildes do povo, são os “pequeninos”, muito amados por Jesus e segundo os evangelhos, os primeiros destinatários do Reino de Deus (Mt 18,1-9; Lc 6,20-21).
 Jesus é forte e incisivo ao defendê-los: Quem escandalizar um destes pequeninos que acreditam em mim, melhor seria para ele, pendurar uma pedra de moinho ao pescoço e ser jogado no fundo do mar. Ai do mundo por causa dos escândalos! (Mt 18,6-7; Lc 17,12). Jesus adverte seus discípulos sobre o perigo da ambição do poder e da riqueza que escandaliza os pequeninos, os fracos, os simples e os pobresEle observa como o contra-testemunho por parte de adultos e daqueles que têm responsabilidade sobre o povo, está levando muitos dos humildes e “pequeninos” a perderem a fé e a esperança em Deus. Aliás, essa não é uma realidade também presente em nossos dias? Quanta gente do povo simples, de boa fé, de todas as idades, sobretudo adolescentes e jovens, se afastam dos valores que lhes foram transmitidos, se decepcionam, não acreditam mais em nada e perdem o encanto pela vida, por causa do mau exemplo de uma sociedade incoerente e irresponsável! Isso nos deve inquietar e nos leva a perguntar: Que mundo estamos oferecendo às novas gerações?  Em quem elas estão se espelhando?
 Jesus defende a vida da criançaAs pessoas doentes eram vistas como impuras e por essa razão, eram excluídas da convivência social e religiosa. Ao curá-las as pessoas, Jesus resgata seus direitos como cidadãos e as reintegra na sociedade. Segundo relatos dos evangelhos, são muitas as crianças, os adolescentes, e jovens que Jesus acolhe, cura e salva sua vida: a filha de Jairo aos 12 anos (Mc 5,41-42); a filha da mulher Cananéia (Mc 7,29-30); o filho da viúva de Naim (Lc 7,14-15); o menino epilético (Mc 9,25-26); o filho do centurião (Lc 7,9-10) e outros

Crianças na Bíblia

e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.
Êxodo 20:6
Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
2 Coríntios 5:17
Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.
Efésios 4:32
Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.
Efésios 6:2-3

Outros Versículos encontrados:

E abrindo-a, viu a criança, e eis que o menino chorava; então ela teve compaixão dele, e disse: Este é um dos filhos dos hebreus.
Êxodo 2:6
Assim viajaram os filhos de Israel de a Ramessés a Sucote, cerca de seiscentos mil homens de pé, sem contar as crianças.
Êxodo 12:37
Concebi eu porventura todo este povo? dei-o eu à luz, para que me dissesses: Leva-o ao teu colo, como a ama leva a criança de peito, para a terra que com juramento prometeste a seus pais?
Números 11:12
Agora, pois, matai todos os meninos entre as crianças, e todas as mulheres que conheceram homem, deitando-se com ele.
Números 31:17
Por fora devastará a espada, e por dentro o pavor, tanto ao mancebo como à virgem, assim à criança de peito como ao homem encanecido.
Deuteronômio 32:25
Depois de o ter desmamado, ela o tomou consigo, com um touro de três anos, uma efa de farinha e um odre de vinho, e o levou à casa do Senhor, em Siló; e era o menino ainda muito criança.
1 Samuel 1:24
Vai, pois, agora e fere a Amaleque, e o destrói totalmente com tudo o que tiver; não o poupes, porém matarás homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.
1 Samuel 15:3
Então Natã foi para sua casa. Depois o Senhor feriu a criança que a mulher de Urias dera a Davi, de sorte que adoeceu gravemente.
2 Samuel 12:15
Davi, pois, buscou a Deus pela criança, e observou rigoroso jejum e, recolhendo-se, passava a noite toda prostrado sobre a terra.
2 Samuel 12:16
Ao sétimo dia a criança morreu; e temiam os servos de Davi dizer-lhe que a criança tinha morrido; pois diziam: Eis que, sendo a criança ainda viva, lhe falávamos, porém ele não dava ouvidos à nossa voz; como, pois, lhe diremos que a criança morreu? Poderá cometer um desatino.
2 Samuel 12:18
Davi, porém, percebeu que seus servos cochichavam entre si, e entendeu que a criança havia morrido; pelo que perguntou a seus servos: Morreu a criança? E eles responderam: Morreu.
2 Samuel 12:19
Então os seus servos lhe disseram: Que é isso que fizeste? pela criança viva jejuaste e choraste; porém depois que a criança morreu te levantaste e comeste.
2 Samuel 12:21
Respondeu ele: Quando a criança ainda vivia, jejuei e chorei, pois dizia: Quem sabe se o Senhor não se compadecerá de mim, de modo que viva a criança?
2 Samuel 12:22
Ora, enquanto Esdras orava e fazia confissão, chorando e prostrando-se diante da casa de Deus, ajuntou-se a ele, de Israel, uma grande congregação de homens, mulheres, e crianças; pois o povo chorava amargamente.
Esdras 10:1
Naquele dia ofereceram grandes sacrifícios, e se alegraram, pois Deus lhes dera motivo de grande alegria; também as mulheres e as crianças se alegraram, de modo que o júbilo de Jerusalém se fez ouvir longe.
Neemias 12:43
Entiaram-se as cartas pelos correios a todas províncias do rei, para que destruíssem, matassem, e fizessem perecer todos os judeus, moços e velhos, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês, que é o mês de adar, e para que lhes saqueassem os bens.
Ester 3:13
ou, como aborto oculto, eu não teria existido, como as crianças que nunca viram a luz.
Jó 3:16
Eles fazem sair os seus pequeninos, como a um rebanho, e suas crianças andam saltando.
Jó 21:11
Da boca das crianças e dos que mamam tu suscitaste força, por causa dos teus adversários para fazeres calar o inimigo e vingador.
Salmos 8:2
Pelo contrário, tenho feito acalmar e sossegar a minha alma; qual criança desmamada sobre o seio de sua mãe, qual criança desmamada está a minha alma para comigo.
Salmos 131:2


Confira Também:

UNIÃO DAS IGREJAS

A UNIDADE CRISTÃ "...HAVERÁ UM REBANHO E UM PASTOR" (JOÃO 10:16) Fala-se muito atualmente em união de igrejas, aproximação d...