Translate

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

TRABALHO E BIBLIA


......................................................................
.......................................................................................................... .....................................................................................................................................


O TRABALHADOR CRISTÃO

O Cristão e o Emprego
Quando Deus criou Adão no jardim do Éden, deu-lhe um trabalho para realizar: cultivar e cuidar do jardim. Isso foi antes do homem pecar e mostra que Deus pretendia que o homem trabalhasse mesmo que o pecado não tivesse entrado no mundo. Apocalipse 7:15 mostra que os fiéis no céu "servem" a Deus. O céu não deve ser encarado como uma folga infindável, mas sim como um período em que "trabalhamos" para o Senhor. Esse é o ideal do homem.

Quando Adão caiu, mudou a natureza de seu trabalho. Deus amaldiçoou o solo, de modo que produzisse espinhos e abrolhos (Gênesis 3:17-19). O trabalho do homem ficou mais difícil e laborioso. Dali em diante, o homem ganha o pão com o suor do seu rosto.

Como em todo aspecto da vida do homem, Deus deu instruções claras sobre o homem e o seu trabalho. Vamos examinar essas instruções com cuidado.

Qual a razão de trabalhar?
A Bíblia oferece várias razões por que o homem deve trabalhar. Primeiro, é a ordem de Deus. Paulo deixou isso bem claro em 2 Tessalonicenses 3. É óbvio que alguns dos tessalonicenses não estavam trabalhando. Paulo os repreendeu fortemente e os exortou para que todos trabalhassem. "Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. Pois, de fato, estamos informados que, entre vós, há pessoas que andam desordenadamente, não trabalhando; antes, se intrometem na vida alheia. A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranqüilamente, comam o seu próprio pão" (2 Tessalonicenses 3:10-12). Em segundo lugar, o homem deve trabalhar para sustentar a si e aos que dele dependem. "Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais e a diligenciardes por viver tranqüilamente, cuidar do que é vosso e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos; de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e nada venhais a precisar" (1 Tessalonicenses 4:10-12). Devemos ganhar o próprio pão sem contar com a ajuda das outras pessoas. "Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente" (1 Timóteo 5:8). Deve ficar claro que o trabalho não é uma opção deixada a nosso critério; Deus nos manda trabalhar. Em terceiro lugar, devemos trabalhar para podermos ajudar as outras pessoas. "Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado" (Efésios 4:28).

Há, obviamente, exceções à ordem de trabalhar. Quem é esposa e mãe tem uma tarefa especial a desempenhar no lar (1 Timóteo 5:14; Tito 2:5). A Bíblia não sugere que as mulheres devam trabalhar fora além de trabalharem em casa. O papel de esposa e mãe geralmente é um trabalho de tempo integral. Há aqueles cuja saúde não permite que trabalhem. Há circunstâncias especiais em que alguém pode não estar apto para trabalhar ou em que alguém que trabalha ainda precisa de auxílio. Muitas dessas situações são mencionadas na Bíblia (veja Atos 2:44-45; 4:34-35; 6:1-6; 11:27-30; 2 Coríntios 8:13-15).

De modo geral, porém, devemos trabalhar e nos sustentar. Há quem não ache que isso seja necessário. Às vezes, os jovens que têm idade suficiente para se sustentar preferem ficar sem fazer nada e deixar que o papai e a mamãe cuidem deles. Alguns não trabalham  simplesmente porque não encontram o emprego que lhes agrade, ou porque ninguém lhes veio oferecer um emprego. O desemprego é um fato de vida, mas o cristão que está se esforçando para agradar a Deus pode fazer da procura de um emprego um trabalho de tempo integral.
No emprego
Devemos ser aplicados em tudo o que fazemos (Eclesiastes 9:10). O livro de Provérbios trata muito do ocioso, o homem que se recusa a trabalhar. O preguiçoso faz tudo o que deseja, menos trabalhar. "O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar" (Provérbios 21:25). Inventa desculpas para evitar o trabalho: "Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas" (Provérbios 22:13). Está sempre precisando de descanso, de relaxamento e de folga: "Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso" (Provérbios 6:10). O escritor compara uma porta que abre e fecha com o preguiçoso que vira na cama. O trabalho necessário para levar a mão do prato à boca para se alimentar o deixa completamente exausto, e ele precisa então descansar de novo (Provérbios 26:13-16).

O preguiçoso recebe a instrução de ser aplicado: "O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente" (Provérbios 12:27). Ele deve olhar para o futuro e planejar o seu sustento. "O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha" (Provérbios 10:5). O padrão apresentado é a formiga: "Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tende ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento" (Provérbios 6:6-8). A formiga trabalha sem ser mandada, e se prepara para os dias de escassez. Algumas pessoas pensam somente nas necessidades momentâneas, esquecendo-se de que precisarão comer amanhã também.

Provérbios é claro sobre as conseqüências da preguiça: a pobreza e a necessidade (Provérbios 6:10-11). Apresenta-se uma descrição completa do campo de um preguiçoso: "Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. Tendo-o visto, considerei; vi e recebi instrução. Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, a tua necessidade, como um homem armado" (Provérbios 24:30-34). O ocioso acabará sendo dominado pelo diligente, e ainda assim não terá nada (Provérbios 12:24; 13:4).

Vários textos dão instruções específicas ao servo (em nossa sociedade, o empregado o equivale em muitas situações). "Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus; servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens, certos de cada um, se fizer alguma cousa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre" (Efésios 6:5-8). "Servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo apenas sob vigilância, visando tão somente agradar homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, ciente que recebereis do Senhora recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo; pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita; e nisto não há acepção de pessoas" (Colossenses 3:22-25). "Quanto aos servos, que sejam, em tudo, obedientes ao seu senhor, dando-lhe motivo de satisfação; não sejam respondões, não furtem; pelo contrário, dêem prova de toda a fidelidade, a fim de ornarem, em todas as cousas, a doutrina de Deus, nosso Salvador" (Tito 2:9-10). Basicamente, as instruções de Deus para os que trabalham para outra pessoa são as seguintes: Œ Devem submeter-se ao patrão, obedecendo às suas instruções (a exceção a essa regra acha-se em Atos 5:29); 1. Não devem reclamar nem ser briguentos (veja Lucas 3:14); 2. Devem ser pacientes ainda que tratados injustamente; 3. Devem trabalhar esforçadamente, mesmo longe da supervisão do chefe; 4. Devem trabalhar como se estivessem servindo ao Senhor; ' Jamais devem roubar daqueles para quem trabalham, porque a vida deles deve ostentar a doutrina de Cristo.

As Escrituras também fornecem o padrão de conduta para os senhores (na sociedade atual, esses princípios podem ser aplicados aos que supervisionam os que trabalham). "E vós, senhores, de igual modo procedei para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor, tanto deles como vosso, está nos céus e que para com ele não há acepção de pessoas" (Efésios 6:9). "Senhores, tratai os servos com justiça e com eqüidade, certos de que também vós tendes Senhor no céu" (Colossenses 4:1). Os patrões devem tratar com justiça aqueles que trabalham para eles e devem evitar fazer ameaças.
Os perigos
Há certas áreas relacionadas ao trabalho em que se deve tomar um cuidado especial para evitar as armadilhas de Satanás. É importante que a necessidade de trabalhar e de se sustentar não se corrompam tornando-se ganância e cobiça. Há pessoas que ficam possuídas pelo trabalho e pelo dinheiro e agem desonestamente para conseguirem mais. Outras fazem do trabalho um deus que lhes domina todo o ser. Deus deve ser a prioridade máxima. Jesus descreveu um rico fazendeiro que usou toda a sua energia em seu trabalho; o fim dele foi muito triste (veja Lucas 12:15-21). Jesus concluiu a história desta forma: "Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus" (Lucas 12:21). Outros textos falam do contentamento e do grande perigo de amar o dinheiro (veja Mateus 6:19-21; 1 Timóteo 6:6-10)

O cristão deve trabalhar com diligência, mas jamais deve fazer do trabalho um deus.

O que a Bíblia Sagrada fala a respeito do trabalho? Por que e para que trabalhar?


A Bíblia apresenta o trabalho como fruto da vontade de Deus. Desde o início Ele desejou que o ser humano trabalhasse e em Salmos 104,19-24; Isaías 28,23-29 se diz que o trabalho é uma instituição da sabedoria divina. O terceiro mandamento também mostra o trabalho como parte constituitiva do plano divino para a humanidade.
O pecado muda a perspectiva do trabalho e sobretudo as suas condições. Depois do pecado o trabalho não é mais alegria, mas fatiga (veja Gênesis 3,16-19); é um peso e não uma bênção. Parece quase que perdeu, depois do pecado, o seu valor, mesmo se em si não é um mal. Tornou-se ocasião de pecado e, quando é finalizado em si mesmo, pode tornar-se até mesmo uma idolatria (Eclesiastes 2,4-11.20-23; Lucas 12,16-22). Em alguns casos transforma-se em instrumento de exploração e opressão (Êxodo 1,11-14; 2,23; Juízes 5,4).

Com Cristo, graças à redenção, o trabalho é restabelecido como uma benção divina, realização da pessoa na comunidade humana, um ‘fazer’ que imita o ‘fazer criativo’ de Deus.

É importante lembrar como a Bíblia condena a pregüiça, a ausência de trabalho (1Tessalonicenses 4,11; Efésios 4,28; 1Timóteo 5,13). O próprio Jesus trabalhou como carpinteiro. Paulo era orgulhoso de dizer que se sustentava trabalhando com as suas mãos, até mesmo para servir como exemplo (Atos dos Apóstolos 18,3). É célebre o que ele diz em 2Tessalonecenses 3,10: Quem não quer trabalhar, não coma. Com isso o apóstolo das nações quer afirmar um princípio de igualdade e de respeito do ser humano e da sua dignidade. A este propósito também em Lucas 10,7 está escrito: O operário merece o seu salário.

1 – O TRABALHO É O SACRIFÍCIO PARA SE CONSEGUIR A ALIMENTAÇÃO. No suor do teu rosto, comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado, porquanto és pó e em pó te tornarás. O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado. Gn 3. 19,23. Já foi dito que o trabalho consciente dignifica o homem; é verdade. O esforço para ser produtivo e útil nas realizações de tarefas do emprego ou como profissional liberal são as fontes lícitas e justas do bom viver.

2 – O TRABALHO EVITA ATIVIDADES DESONESTAS. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade. Ef 4. 28. Jogos de azar, prostituição, contrabando e tráfico de drogas são atrasos na vida da humanidade. São fatores negativos e com consequências desastrosas e até mortais. Não são trabalhos dignos; são subornos, espertezas e desmandos.

3 – O TRABALHO É APROPRIADO PARA O HOMEM QUE TEME A DEUS. Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! Pois comerás do trabalho das tuas mãos, feliz serás, e te irá bem. Sl 128. 1-2. O cristão deverá ser o exemplo de dedicação e bom desempenho de seu ofício, seja ele qual for. O pão nosso de cada dia jamais chegará até os preguiçosos e ociosos durante a vida toda. O vício de pedir é feio e injustificável para os que têm saúde; que se procure serviço até encontrar.

4 – A MULHER VIRTUOSA DESENVOLVE TAMBÉM SEU TRABALHO. Ainda de noite, se levanta e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas. Estende as mãos ao fuso, e as palmas das suas mãos pegam na roca. Olha pelo governo de sua casa e não come o pão da preguiça. Pv 31. 15, 19, 27. O trabalho pesado não era para ser desenvolvido pela mulher, mas tarefas suaves e domésticas. Nos tempos dos Séculos XX e XXI, porém, elas trabalham quase em pé de igualdade com os homens. Cabe ao casal analisar se a ausência dela no lar não é prejudicial à criação dos filhos.

5 – O CRISTÃO QUE NÃO É DEDICADO A TRABALHAR TORNA-SE ESCÂNDALO NA IGREJA. Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes, fazendo coisas vãs. II Ts 3. 10-11. Quem não trabalha dá muita mão de obra. A ociosidade é a mãe dos vícios de toda sorte. Os governantes deveriam abrir frentes de serviços para todas as idades e condicionamentos culturais; a fome seria diminuída, bem como “serviços” de ganho rápido.

6 – O PATRÃO CRISTÃO DEVE TRATAR CONDIGNAMENTE SEU TRABALHADOR. E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está no céu e que para com ele não há acepção de pessoas. Ef 6. 9. O patrão precisa dar prioridade ao tratamento condigno aos seus funcionários; sem eles, suas obras e sua clientela serão reduzidas. O bom funcionário é a mola mestra do empreendimento. Salário justo, bonificações periódicas e até, se for possível, participação nos lucros.

7 – O CRENTE EMPREGADO DE UM CRENTE DEVERÁ SER MAIS AINDA TRABALHADOR PRODUTIVO. Vós, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens, sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. Ef 6. 5-8. Assim procedendo, galgará posições mais relevantes e rentáveis. Glorificará a Deus com sua postura de servo fiel e diligente. Mesmo o patrão ímpio gostará de ter trabalhadores obedientes, produtivos e honestos. Daniel, o profeta, procedeu assim.

8 – O TRABALHO GERA OS BENS PARA A COMODIDADE DAS PESSOAS. A ciência se multiplicará. Dn 12. 4. Aproveitando sabiamente a ciência evoluída, os homens têm criado fantásticas comodidades para a raça humana. Pelo trabalho constrói-se a moradia, fabricam-se os eletrodomésticos e os meios de transporte; o vestuário, os remédios e outros bens de consumo. Temos pelo trabalho a energia elétrica, a água encanada e os meios de comunicação. 

A PREGUIÇA, UMA MALDIÇÃO NA VIDA.
1.Toda a Bíblia condena a ociosidade. Deus abomina a malandragem, o lazer efetivo, a preguiça profissional. Há muito gente que dever pedir oração para uma mudança de comportamento quanto à preguiça. “O preguiçoso não assará a sua caça”, diz a Bíblia.
2. Muitas pessoas não são preguiçosas em casa, mas o são na Igreja. São pessoas que cruzam os braços o tempo todo. No culto e nas atividades da Igreja nunca participam de nada, nunca são voluntários para nada, nunca cooperam com nada. Como a Igreja pode avançar com obreiros preguiçosos? Quem nada faz na Igreja não se sente feliz nem mesmo realizado. A felicidade do crente se completa quando ele trabalha na Igreja, quando ele serve efetivamente a Deus. Há um ditado antigo que diz que “quem não vive para servir não serve para viver”.
3. Ninguém deve vir ao culto como quem vêm assistir a um espetáculo. A Igreja não tem artistas para serem aplaudidos, igreja não é circo, nem cinema, nem casa de espetáculos. O crente é um soldado, a Igreja é um exército e a vida cristã uma guerra.
4. Enquanto muitos crentes estão em casa dormindo, assistindo novela, navegando na Internet ou fazendo qualquer outra coisa NO HORÁRIO DO CULTO, os cultos de oração estão vazios, os terreiros de macumba estão cheios,o crack está destruindo os jovens, a violência está chegando nas famílias cristãs, os casamentos estão sendo destruídos etc. Por causa da ociosidade,os cultos de doutrina ( onde se ensina a Palavra de Deus) não atraem porque tem gente que tem até preguiça de pensar e raciocinar. Dentro da Igreja não pode haver ociosos e preguiçosos. E um obreiro começa a ficar ocioso quando fica em casa (quando deveria estar na Igreja) cochilando, tosquenejando, dormindo.
5. Davi cometeu o pior pecado de sua vida no dia em que deveria estar na frente de batalha, mas resolveu ficar em casa. Quando Eliezer avistou Rebeca pela primeira vez ele estava vindo tirar água no poço, estava trabalhando. Tirou água para toda a comitiva dele e ainda deu água para os camelos. Felizes as mulheres que são diligentes e operosas.
6. Dormir demasiado conduz a um enfraquecimento total do ser humano e quem dorme demais vive de menos; isto quer dizer que quem acorda mais cedo vive muito mais que aquele que acorda mais tarde. Uma alma inativa num corpo inerte conduz o espírito a uma vida inerte. Tem pessoas que não conseguem acordar sequer para ir domingo de manhã à Igreja, simplesmente porque estão dormindo e com preguiça. A preguiça é uma verdadeira maldição na vida de um líder, porque ele nunca conseguirá agradar a Cristo que afirmou claramente em Jo 5.17: “Meu pai trabalha até agora e eu trabalho também”.
7. Deus manda o povo observar as formigas, Pv 6.6-8. Elas nem precisam de chefe ou comandante, mas fazem um trabalho incrível. Se milhares de pequenas formigas, sem instrução nem entendimento, podem cumprir tanto serviço, você não sente vergonha pelo pouco que faz? O trabalhador sempre olha ao redor para ver se há mais algum serviço para fazer. Como as formigas, ele nunca fica parado e não espera ser mandado. Sabe que tem sua própria responsabilidade diante de Deus e não demora em cumpri-la.
8.Deus ordenou aos homens trabalharem seis dias e descansarem um. Existem muitas pessoas com tendência para inverter esta ordem divina: trabalhar um dia e descansar seis.
9. O verdadeiro filho de Deus não pode ser preguiçoso, Tem que ser um imitador de Cristo que jamais teve preguiça. Deus não tem filho ocioso, preguiçoso ou vagabundo. O primeiro ocioso que apareceu na terra era um desviado chamado Caim.
10. O preguiçoso nunca assará a sua caça (Pv 12.27) porque nunca tem disposição para matá-la e prepará-la. A Bíblia recomenda que se alguém não quer trabalhar então não coma, II Ts 3.10. Alguns querem fugir do trabalho e dizem que foram chamados por Deus e se esquecem de que Deus só chama gente ocupada, que está trabalhando. Os 4 primeiros discípulos foram chamados quando estavam pescando ou consertando as redes; Mateus foi chamado quando estava na coletoria, Eliseu foi chamado quando cuidava de 12 juntas de bois.
11. Deus não chama preguiçosos, mas chama trabalhadores que continuam sendo trabalhadores na Obra, como Amós que foi chamado sendo boiadeiro, como Moisés que foi chamado quando cuidava do rebanho, como Davi que foi chamado quando cuidava dos ovelhas de Jessé, seu pai. Para termos disposição plena para trabalhar na Obra de Deus temos que ser tocados por Seu Espírito e assim receberemos disposição espiritual, inclinação interior para trabalhar.
12. Em Pv 31.13 encontramos a descrição perfeita de uma esposa ideal: “busca lã e linho e trabalha de boa vontade com as mãos”. Esta é uma qualidade fundamental para uma mulher, mas também para um homem: a disposição para o trabalho. A preguiça é feio em uma mulher, mas é terrível em um homem. Deus abomina o homem preguiçoso que vive à custa de mulher, que explora mulher e que até na Igreja, como líder, nada fez deixando tudo a cargo das mulheres. Homens preguiçosos que agem como meninos que não crescem e vivem na dependência de qualquer pessoa que acolha a sua preguiça.
13. O Senhor sempre está com os que trabalham, os quais devem trabalhar cada vez mais. Deus não manda avivamento para uma igreja ociosa. Não espere milagres na vida de líder preguiçoso que sequer ora e jejua. Deus não honra a preguiça, honra nosso trabalho; Deus não abençoa a nossa preguiça, abençoa o nosso trabalho. A Igreja que mais agrada a Deus é aquela que é obediente e trabalhadora. Conseguimos corrigir muitos defeitos nossos quando começamos a trabalhar.
14. Devemos trabalhar como servos dedicados e operosos para Jesus Cristo que nos comprou com seu sangue precioso. Tudo que você fizer, faça-o bem. Faça um trabalho bonito, uma obra que vai durar. De tudo que fizer, faça uma obra de arte. Não poupe seus esforços para fazer sempre uma obra melhor, uma obra digna para glorificar o Senhor. É a Ele que você serve. E Paulo diz que podemos estar certos, cada um, que se fizermos alguma coisa boa, receberemos isso outra vez do SENHOR.
O TRABALHO, UMA BÊNÇÃO NA VIDA DO CRENTE.
1. Não deve haver espaço para preguiça na vida de um Cristão.  Um crente, no entanto, pode se tornar ocioso se acreditar que Deus não espera fruto de uma vida transformada. “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:10). Os Cristãos mostram sua fé através de suas obras, Tg 2:18, 26. A preguiça viola o propósito de Deus- as boas obras.
2. Na nossa nova natureza, somos motivados a ter diligência e produtividade por amor ao nosso Salvador que nos redimiu e nos deu um desejo de viver uma vida que agrada a Deus: “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade”, Ef 4:28. Deus nos deu a responsabilidade de providenciar para a nossa família através do nosso trabalho: “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel” (1 Tm 5:8); e para os da família de Deus, At 20:34-35.
3. Como Cristãos, sabemos que nossos esforços serão recompensados pelo Senhor se formos perseverantes e diligentes,Gl 6:9-10; porque servimos a Cristo,Cl 3:23-24; “Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis” (Hb 6:10).


  • 1. Desafios da atualidade Lição 2 - O cristão e o trabalho TEXTO BASE 2 Tessalonicenses 3:6-13
  • 2. Introdução Nas mais diferentes culturas, a palavra ‘trabalho’ está associada a: Peso Sacrifício Renúncia aos prazeres da vida O conceito que muitas pessoas têm relaciona atrabalho a algo difícil e cansativo, uma pesadaobrigação
  • 3. Por outro lado há pessoas que só pensam em trabalhar O trabalho vira uma obsessão O trabalho é tema amplamente tratado na Bíblia. À luz das Escrituras: Transforma o indivíduo em Como o cristão deve encarar o escravo trabalho? É benção de Deus ou maldição? Quais devem ser as motivações do cristão para o trabalho? Quais as distorções?
  • 4. 1. O trabalho é ordem de Deus O próprio Senhor Deus nos dá o exemplo quanto ao valor do trabalho As obras da criação foram fruto do Seu trabalhoConforme Gn 1:28 e 2:15, muito antes da queda, Deus delegouao homem a incumbência de trabalhar cuidando da terra Isso prova que o trabalho não é maldição e consequência do pecado Embora, após a queda, o trabalho tenha se tornado árduo penoso e suado (Gn 3:150-20)
  • 5. O homem recebeu omandato de ser oadministrador da criação Deus conta com o nosso trabalho para a preservação de toda a sua obra Assim, todo empreendimento humano deve-se dar em perfeita harmonia com os interesses de Deus, revelados em sua Palavra
  • 6. Devemos trabalhar comzelo eresponsabilidade,como recomendaPaulo:"Tudo quanto fizerdes,fazei-o de todo o coração,como para o Senhor e nãopara homens, cientes deque recebereis do Senhor arecompensa da herança. ACristo, o Senhor, é queestais servindo“. (Cl 3:23-24)
  • 7. A declaração de Jesus, conformeJoão 5:17, aponta para a origemdivina do trabalho e se constituiem exemplo para nós:“Meu Pai trabalha até agora, e eutrabalho também”.
  • 8. 2. Trabalho é uma necessidade humana “O trabalho é uma expressão do espírito.” (Proudhon) De fato, o trabalho é uma condição moral do homem Que nele se satisfaz física e espiritualmente O trabalho valoriza e dignifica o ser humano
  • 9. 2. Trabalho é uma necessidade humana Muitas pessoas se realizam em sua profissão, vendo o trabalho como um meio, e não um fim, para o aperfeiçoamento da vida Mais do que fonte de lucro, é realização pessoal, uma necessidade vital do ser humano
  • 10. Além disso, o trabalho possibilita o companheirismo Preenchendo, assim, uma das principais necessidades humanas, que a sociabilidadeA ociosidade é perniciosa, mas o trabalho enobre edignifica o homem (II Ts 3:10-12)
  • 11. 3. O trabalho é fator de progresso Por meio do trabalho podemos expressar o nosso amor e oferecer a nossa contribuição para o desenvolvimento do mundo O trabalho gera riqueza e progresso A Bíblia defende a justa“O trabalhador é remuneração pelo trabalhodigno do seu realizadosalário.” (ITm 5:18b)
  • 12. Antes de ser visto como meio de realização pessoal, o trabalho deve ser uma expressão de amor ao próximo O trabalho de cada um permite o bem-estar de todosIsso é o que se pode chamar de amor político ou socialIsto é: buscar com o trabalho o crescimento do outro eo desenvolvimento da sociedade
  • 13. 4. O trabalho é fonte de bençãos Quando é que o trabalho se constitui numa fonte de benção? A) Quando é resposta à vocação Segundo Calvino, o trabalho deve ser visto como "um posto que foi designado pelo Senhor". Quando o indivíduo trabalha consciente de que está exercendo uma vocação dada por Deus, o resultado é abençoador.
  • 14. B) Quando é realizado com excelência Todo trabalho deve ser executado conforme a capacidade do indivíduo“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme astuas forças, porque no além, para onde tu vais, não háobra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoriaalguma.” (Ec 9:10)
  • 15.  Cada um deve dar o melhor de si, buscando a excelência naquilo que faz Mais do que aprovação dos homens, devemos buscar a aprovação do Senhor (Cl 3:23)
  • 16. C) Quando são respeitadas as leis trabalhistas O trabalhador deve fazer por merecer o seus salário, deve trabalhar de forma diligente e responsável, mas os empregadores devem honrar o trabalhador, com remunerações justas e o respeito às leis trabalhistas A exploração é condenada na Bíblia
  • 17. D) Quando é equilibrado com descanso O trabalho não pode se transformar numa obsessão“Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde,comer o pão que penosamente granjeastes; aos seusamados ele o dá enquanto dormem.” (Sl 127:2)
  • 18. João Calvino dizia:“Os fiéis devem repousar desuas próprias obras, a fim desentirem a necessidade de Deusem suas vidas”. O trabalho deve ser equilibrado com o descanso e a ocupação com as coisas do reino de Deus
  • 19. E) Quando é submetido à direção do SenhorA Bíblia “se interessa em que todos os homens, seja qualfor a sua ocupação, subordinem cada motivo à vontade deDeus”. (Paul S. Minear) O cristão deve buscar a orientação divina para o seu trabalho

É DOM DE DEUS PROSPERAR

As riquezas e bens, são dádivas de Deus.
Muitos ficam conformados com a vida pobre e miserável, não prosperam, não lutam, não querem trabalhar e nem esforçar-se para prosperar.
Se ser pobre agrada a Deus, então por que devolvem o dízimo para repreender o devorador?
Ninguém quer ser escravo deste demônio, O DEVORADOR, por quê ?
Outros cometem loucuras, entregam a sua alma ao diabo para prosperar, este sim é o devorador dos bens materiais e das almas dos seres humanos.
Todos sabemos que tudo que se diz de bens financeiros, que possuímos estão nas mãos de Deus. Mas, os demônios enganam a muitos.
Serão as heranças de bens materiais que passarão de pais para filhos, porque nada levaremos desta vida.
Como recebemos a riqueza como dom de Deus?
I Timótio- 6:17- Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, “mas em Deus”, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos;
Leiam e releiam…. estes versículos.
Eclesiastes. 5:19 E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus. Dom vem de Deus, é presente para a família.
E muitos esquecem que tudo que Deus nos dá, é para viver bem nesta vida terrena, para que possamos usufruir e ajudar aqueles que têm necessidades, fazer o bem a todos.
Não diz que você tem que dar esmolas para aqueles que não querem nada com o trabalho Não!!! Ajudá-los dando os primeiros socorros, como comida e vestes, para não ficarem fracos apenas por um tempo, mas precisam de uma porta de trabalho, que é benção de Deus, para que possam se levantar em suas vidas financeiras e terem o que mais precisam, roupa para vestirem e comida, mas terão que ser com o suor do rosto. “TRABALHO”
A Palavra de Deus é bem clara com aqueles que não querem nada com o trabalho, para que não coma também.
Provérbios. 21:25–O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam trabalhar.
Provérbios. 14:23–Em todo trabalho há proveito, mas ficar só em palavras leva à pobreza.
PV 6:6–Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio.
Aquele que não planta nada, não tem direito de colher.
Da mesma forma, o que não quer nada com Deus, este também não gozará dos bens que Deus promete na sua Palavra, Bênçãos financeiras, prosperidade, farturas.
Primeiro: Temos que praticar, a obediência da Sua Palavra.
Segundo: E preparar a terra (escolher o um campo, um lugar), pegar uma boa quantidade de semente e de boa qualidade, não para comer, mas para semear neste campo que você escolheu.
Terceiro: E esperar confiante a produção, porque Deus abençoa a terra, faz brotar a semente, para que dela se colha fartamente.
Quarto: Ao colher, receber o fruto da terra, saber usar o que colhemos (dinheiro).
Em primeiro lugar: temos que tirar a parte que pertence a Deus, as PRIMÍCIAS. 10%
Assim, como devemos semear para colher fisicamente, e esperar nascer para colher aquilo que semeamos, para nosso bem terreno, próspero, seguro, para nosso próprio bem e para o conforto físico. “Espiritualmente” também é assim.
Mas, precisamos aprender de Deus, com “Sabedoria de Deus” para ministrar aquilo que recebemos dEle!!! “Testemunhar” na vida que temos nEle.
Por que tem gente que não prospera ?
Muitos gastam em coisas que desagrada a Deus, gastando tudo em coisas que não são para seu próprio bem, mas que destrói o corpo, destrói a alma, e desagradam a Deus prejudicando o próximo, e muitos ficam ricos roubando o direito dos seus trabalhadores, aquele que ajudam beneficiar seu próprio bens.
Fazem coisas ilícitas, fazendo propagandas enganosas, parecendo uma coisa que não é, como querem receber a bênçãos de Deus mentindo ? Enganando uns aos outros ? Roubando o direito dos trabalhadores, dos órfãos e das viúvas ? Muitos querem ficar ricos enganando pessoas ingênuas, para venderem produtos roubados, porque é fácil enganar, roubar, muitos se iludem com este tipo de negócios. Muitos gastam seus bens em bebidas e em drogas que destróem o corpo e a mente, e desgraça as suas famílias, e perdem a alma.
Muitos prostituem seus corpos, porque é mais fácil ganhar dinheiro nestes trabalhos…
Vamos primeiramente buscar em Deus fazendo o que é puro e honesto que é verdadeiro, sem enganar, sem roubar, e devolver também aquilo que pertencem a Deus.
Primeiramente: vamos nos arrepender de tudo aquilo que desagrada a Deus, nos limpar, entregando nossa vida na dependência de Deus (fig: preparar a terra).
Sacrificar a vida no altar, esvaziar-se totalmente, e viver na dependência de Deus. Fazer um conserto, uma aliança; isto é um casamento com Deus.
Segundo: Nas colheitas, as primícias são de Deus ( Deus tem que estar em primeiro lugar na nossa vida ).
O DÍZIMO: representa a semente em que o semeador reserva para fazer novas plantações. Entregando na casa do tesouro, são sementes especiais, que não se pode comer. Representa o nosso futuro com Deus.
Ensina a Palavra que, devemos devolver a Deus tudo o que lhe pertence. Se você come a semente toda, como semeará ?
Esta é a lei física, assim é também a espiritual. Os alimentos espirituais de Deus, têm que ser mantidos pela lei física do homem. Tudo o que nós produzimos aqui nesta terra é de Deus. Ele nos deu, para dela gozarmos, temos que primeiramente tirar o que pertence a Ele, “ O DÍZIMO” e as ofertas, e levar na casa de Deus, depositar na casa do tesouro, depois o que ficar em nossas mãos temos que saber gastar e reservar uma boa quantia para semearmos fisicamente, fazendo tudo o que agrada a Deus vivendo bem, alegre e feliz (Malaquias. 3 ).
O dízimo é que mantém a casa de Deus com boa alimentação, farta, próspera, com conforto, bem estar de todos que vão se achegando, a Porta estará sempre aberta, e o banquete sempre estará preparado para dar alimento a todos.
Mas, ai!!! do mordomo se não estiver tudo preparado, como Deus ordena.
Assim, também a nossa casa, vida da nossa família, boa alimentação, boa vestimenta, calçados, uma vida com conforto e de boa qualidade, passeios, feliz alegres, tudo o que a sua alma deseja, que é agradável a Deus.
“A Oferta” é o presente oferecido em gratidão pelas bênçãos recebidas de Deus.
Assim, é com a nossa família, quando viajamos, ao voltarmos trazemos presentes para agradar a quem amamos. Representa o tamanho do nosso amor por Eles.
As ofertas são para agradar a Deus com cheiro suave. Estas coisas são para a família no Reino de Deus. O Templo a quem você faz parte. Tudo será para o seu próprio conforto, uma boa poltrona, bons pisos, uma boa escola para seus filhos, ar ventilados, luz, telefone. Tudo o que você deposita no altar , serão gastos para seu próprio benefício e de seus filhos, e das almas que forem entrando. Como querem comer do melhor desta terra , se não dão o seu melhor para Deus? É dando que se recebe… Aquele que semeia boa semente colhe fartamente… Isto é, as leis físicas “financeiras são também espirituais”. Saúde, força, alegria e felicidade: quer dizer: BEM AVENTURANÇAS.
As pessoas que ignoram as promessas de Deus, não serão beneficiadas com todas as sortes de bênçãos celestiais. “Duvidam” do Criador do Universo.
Qual o pai que não quer o melhor para os seus filhos?
Deus é tão benevolente que até manda provar, porque sabe como é difícil o coração do homem entender das coisas espirituais, se nem sabem fazer a físicas, que estão diante de seus olhos.
Malaquias 3:7-Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?
Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.
Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, (ESPIRITUAL) e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e derramar… (espiritualmente e materialmente) em todas as benção sem medidas. (MUITAS BENÇÃOS) (Malaquias 3)
PRESTE MUITA ATENÇÃO
Eclesiastes. 5:19 E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus.
2Cronicas- 17:5- E o SENHOR confirmou o reino na sua mão, a todos de Judá deu presente a Jeosafá, o qual teve riquezas e glória em abundância.
2CR 32:27-E teve Ezequias riquezas e glória em grande abundância; proveu-se de tesouraria para prata, ouro, pedras preciosas, especiarias, escudos, e toda a espécie de objetos desejáveis.
Salmos- 104:24-Ó SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.
Salmos- 112:3–Prosperidade e riquezas haverá na sua casa, e a sua justiça permanece para sempre.
Marcos- 10:24- E os discípulos se admiraram destas suas palavras; mas Jesus, tornando a falar, disse-lhes: Filhos, quão difícil é, para os que confiam nas riquezas,( NÃO EM DEUS) entrar no reino de Deus!- 1Timotio- 6:17-Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos;
A Palavra de Deus não condena as riquezas, é dádiva “dom” de Deus, tanto espirituais como materiais, Se é dom temos que pedir a Deus, nem todos as têm, mas tanto uma, quanto a outra, devemos aprender usá-las como a Palavra de Deus ensina.
Nem todos estão preparados para obtê-las. Temos que pedir primeiramente sabedoria, conhecimento, para saber usá-las, tudo na dependência de Deus. Amém!
No nosso trabalho tenhamos o espírito de Cristo. A Bíblia diz em Efésios 6:6-7 “Não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus, servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens.” 
Trabalhe sabendo que Deus é O que avalia os nossos esforços. A Bíblia diz em 2 Timóteo 2:15 “Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” 
É importante ter uma boa atitude no trabalho. A Bíblia diz em Colossenses 3:23 “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens.” A Bíblia diz em Eclesiastes 9:10 “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças; porque no Seol, para onde tu vais, não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.” 
O homem que se recusa a trabalhar para sustentar a sua família nega a sua fé com as suas acções. A Bíblia diz em 1 Timóteo 5:8 “Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo.” 
Na natureza há muitas lições sobre o assunto do trabalho que necessitamos aprender. A Bíblia diz em Provérbios 6:6-11 “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos, e sê sábio; a qual, não tendo chefe, nem superintendente, nem governador, no verão faz a provisão do seu mantimento, e ajunta o seu alimento no tempo da ceifa. O preguiçoso, até quando ficarás deitador? quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para toscanejar, um pouco para cruzar as mãos em repouso; assim te sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade como um homem armado.”



Fontes:  http://www.estudosdabiblia.net/d38.htm
            http://www.abiblia.org/ver.php?id=598
            http://www.atosdois.com.br/print2.php?codigo=6334
     http://www.revdionildodantas.com/2013/04/estudomeu-pai-trabalha-ate-agora-e-eu_24.html
            http://pt.slideshare.net/IPB706Sul/licao-2-o-cristao-e-o-trabalho
            http://estudosbiblicos.spaceblog.com.br/240734/O-trabalho-e-a-preguica/
            http://www.universidadedabiblia.com.br/o-que-a-biblia-fala-sobre-trabalho/
            http://estudosbiblicosonline.com.br/?p=140
            http://www.jesusvoltara.com.br/info/trabalho.htm
            https://www.youtube.com/watch?v=JdpYSdwsNQY



...............................................................................................................................




...................................................................................... .................................................................................... ....................................................................................
Get your own Chat Box! Go Large!

Confira Também:

GRATIDÃO

“Até aqui nos ajudou o SENHOR.” 1 Samuel 7:12b O agradecimento é o minimo que todo homem pode fazer pois a Gratidão é o reconhecimento p...