Translate

domingo, 23 de setembro de 2012

CARTA

Contador de visitas
Besucherzähler
Contador de visitas


COPIADO DO BLOG TEMPOS DE FÉ
http://www.temposdefe.com/2011/11/o-cristao-como-carta-escrita.html

O Cristão como carta escrita

Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens” (II Cor. 3.2).

     De certa forma cada um de nós, quer queiramos ou não, deixamos na vida das pessoas que convivem conosco uma mensagem daquilo que somos, seja por meio de nossas palavras, ou mesmo por meio de nossas atitudes. Neste mundo de relacionamentos estamos sempre transmitindo parte daquilo que somos. O apóstolo Paulo, escrevendo aos irmãos em Corinto, diz que eles próprios eram a maior prova de seu apostolado, sendo como quecartas  de recomendação a qualquer pessoa que viesse a por em dúvida seu ministério, pois a Igreja de Corinto era fruto do seu trabalho apostólico. Nesse sentido, cada cristão é uma carta escrita, tendo origem e destino previamente determinados.
     O cristão, como carta escrita tem uma origem: Deus. Vejamos o que diz o apóstolo Paulo: "estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério" (II Cor. 3. 3). Paulo  assinala que somos carta de Cristo.Verdadeiramente nossa origem está em Deus. Jesus é o autor e consumador de nossa fé. É Ele quem nos capacita, pois nossa suficiência vem dEle:  “não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus” (II Cor. 3.5).
     Como uma carta o cristão também tem um destino: Ele é enviado ao mundo. Paulo afirma aos crentes de Corinto:  “Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens” (II Cor. 3.2). Se essa carta escrita é lida por todos os homens, logo seu destino é o mundo. Cada cristão é uma carta pública, ou seja, uma carta aberta, que deve ser “conhecida e lida por todos os homens”. Isso eqüivale a dizer que temos de dar bom testemunho ao mundo daquilo que cremos e de como vivemos. A verdade é que não há como nos esconder, pois estamos rodeados por pessoas a todo o tempo, como salienta o autor da carta aos Hebreus: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta”(Heb.12:1).    
     Finalmente, como uma carta escrita, o cristão tem também um conteúdo: O Espírito Santo que nele habita. O apóstolo Paulo diz: “... , escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações” (II Cor. 3.3). Quando o Senhor nos chamou, Ele mesmo escreveu Sua palavra em nossos corações com seu Espírito Santo. Sua mensagem está escrita em nós, não com tinta comum, que com o tempo se desgasta, mas com Seu Espírito. O Senhor disse por intermédio do profeta: “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne” (Ezequiel 36:26). Como cristãos, somos exortados a viver no Espírito, manifestando o fruto desta comunhão. Paulo em sua epístola aos Romanos salienta: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Romanos 8:9).
     Se somos cartas escritas por Deus, por intermédio de seu Espírito, e enviadas ao mundo, devemos nos perguntar qual mensagem temos transmitido. Não existe carta vazia, em branco; é nosso dever transmitir ao mundo o amor do Pai; manifestando assim Sua suprema vontade. Como carta escrita, estejamos então prontos a transmitir em todo tempo o amor de Deus a este mundo sem esperança.
                                                                                          
Paulo Cesar Tomaz

Pastor da Igreja Presbiteriana do Jardim Nova Europa (Campinas - SP) 

Capelão e Professor em História do Pensamento Cristão (Seminário Presbiteriano do Sul - Campinas - SP) 


__________________________________________________


Doutorando em Teologia - D.Min. (Universidade Mackenzie - SP) 
Mestrado em História (Universidade Estadual de Maringá - Paraná)
Licenciatura em História (Universidade Estadual de Maringá - Paraná)
Bacharel em Teologia (Seminário Presbiteriano do Sul - Campinas - SP)

Postar um comentário

Confira Também:

SER BATISTA

O Que é Ser Batista?  INTRODUÇÃO : Um seminarista disse-me, não faz muito tempo, que é Batista por circunstâncias: ele converteu-se nu...